Notícias quentes
Página Principal / Cuidados e Saúde / A família vai crescer? Não abandone seu animal de estimação!

A família vai crescer? Não abandone seu animal de estimação!

Milhões de cães acabam sendo deixados nas ruas todos os anos. E isso infelizmente acontece em todo o mundo. Muitos desses pobres animais abandonados morrem e alguns são levados aos abrigos. Infelizmente, poucos são adotados por famílias amorosas.

Os problemas comportamentais são a razão mais comum pela qual as pessoas desistem de cães e a segunda razão mais comum do abandono aos gatos. Mas claro que há outros motivos relacionados ao abandono, e um deles é até mesmo a chegada de um novo membro a família.

Por isso, neste texto vamos abordar mais sobre o abandono de animais e a chegada do novo membro na família. É uma triste realidade que acontece!

Nascimento de um bebê

Família vai crescer

Você pode até ficar surpreso, mas acontece sim, de muitos animais de estimação serem abandonados devido ao nascimento de um bebê.. Estamos tão envolvidos por causa de um novo membro da família que nos esquecemos das necessidades de outro membro que confia totalmente em nós.

E o que acontece? Eles acabam ficando de lado e muitos deixados na rua. Por tanto tempo servirem de companheiro, mas quando se tornam velhos,  os descartamos.

Quando um casal não tem filhos, eles geralmente tratam o cachorro como um bebê. Mas quando a família cresce, o casal se desinteressa no animal de estimação, e em muitos casos o deixará abandonado na rua.

Muitos afirmam que o animal teve a adaptação difícil, e que coloca em risco a saúde do novo integrante.  Só que há solução!

Em muitos casos, a adaptação é simples. Nem é preciso ter medo em relação a doença dos animais aos bebês. Se o  cão ou gato está com as vacinas em dia, os motivos em se preocupar são pequenos.

Além da chegada de um bebê, muitas famílias abandonam os animais porque a manutenção se torna cara. Muitos evitam ficar pagando as taxas do veterinário, especialmente se o nosso animal de estimação precisa de tratamento contínuo. Ou pelo estado terrivelmente emaranhado de algumas das raças de cabelos longos que entram no tratamento, o custo contínuo da higiene pessoal e da manutenção geral da saúde é grande. Logo, acreditam que a saída é o abandono.

Abandono é como a morte

Família vai crescer

Abandonar um animal de estimação é praticamente o mesmo que matá-lo. É muito improvável que o animal encontre o caminho de volta á casa. Em última análise, eles acabam na rua ou em um abrigo junto a centenas de outros animais abandonados na mesma condição triste que eles.

Isso é crime! Se tiver dificuldades, procure ajuda. Mas jamais abonde o animal achando que alguém vai recolher ele da rua. Pode sim acontecer, mas é raro. Principalmente se o cachorro for grande e mais arrisco, as chances de alguém pegar ele e cuidar são pequenas.

A mesma coisa é os gatos que já são mais receosos. Eles ficarão com medo. Alguns podem até ter a sorte de encontrar alguém que os ajude, mas a maioria morre nas ruas ou acabam em canis municipais.

A família vai crescer? O animal agradece

A primeira coisa que precisamos fazer é preparar o cão antes da chegada do bebê. Isso é essencial, porque que o animal pode sentir ciúmes pela chegada de um novo membro da família.

Temos que observar se o  cão tem algum comportamento incomum. Se assim for, teremos que levá-lo a um adestrador canino e ficar bem quando o bebê chegar em casa.

Então é necessário pensar nas mudanças que  está fazendo a fim de que o bebê fique em casa e como essa nova vida afetará o mascote. É possível mudar os horários e caminhadas, e deve-se acostumar a essas mudanças gradualmente.

É muito importante deixar entre 10 a 15 minutos por dia o  mascote, onde possa brincar, dar carícias e se divertir. Em suma, tudo que precisa é prestar atenção ao teu amigo canino.

Família vai crescer

Desta vez, que tem que ser constante e diário, deve ser mantido o bebê nasce. Essa rotina é básica em fazer o animal se sentir importante na família.

Ao mesmo tempo, parece também necessário permitir que o cão entre no quarto do bebê e se familiarize aos cheiros, mas nunca deixe que ele suba no móvel da criança, assim evitará qualquer dano futuro.

Sabemos que a chegada de um bebê na família modifica a relação do casal. O mesmo se prepara-o a chegada da criança. E o cão ou gato jamais deveriam ser descartados. Mesmo que seja ciumento, é possível conseguir administrar isso.

Com muita dose de paciência e dedicação se consegue manter essa relação. Inclusive há pesquisas que relacionadas que dizem que um animal em casa aumenta a imunidade das crianças.

Toda convivência e adaptação pode ser difícil, mas na grande maioria das vezes dá certo, e tanto a criança quanto o animal, acabam se dando super bem. Há não ser que aconteça algum conflito, procure ajuda.

Lembre-se: “Os animais não são mobília, brinquedos, objetos descartáveis ou decoração velha”.

Não abandonem quem nunca abandonariam você, só quem não tem coração seria capaz de fazer uma atrocidade dessa.

Você conhece alguém que desistiu de um animal? Deixe-me saber nos comentários o que aconteceu – e se pode ter havido alguma maneira de evitar isso.

 

Sobre Angelica Weise

Jornalista freelancer. Mestranda na UFSM. Escreve sobre os mais diversos assuntos e ama seus pets.

Veja também

animais na gravidez

Animais de estimação na gravidez! Quais os cuidados?

É comum dúvidas a respeito dos animais de estimação na gravidez! Quais os cuidados? Será …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *