Notícias quentes
Página Principal / Cuidados e Saúde / As 4 doenças mais comuns em cachorros e gatos

As 4 doenças mais comuns em cachorros e gatos

Assim como os seres humanos, os cachorros e gatos também podem acabar ficando doentes. Isso é bem comum de acontecer quando doenças infectocontagiosas, alérgicas atacam o seu metabolismo.

E por mais que seus tutores os tentem proteger, as doenças são uma realidade e podem ter as mais variadas causas. Então se você se preocupa com a saúde do seu bichinho, confira as 4 doenças mais comuns que atingem cães e gatos.

Lembramos que a lista de patologias é imensa, no entanto, existem umas mais comuns que outras. As doenças podem se manifestar de variadas formas, podendo ocasionar depressão, falta de apetite, febre, entre outros sintomas. Fique atento!

Doenças comuns em gato e cachorro

1.Diabetes: nos pets e felinos a diabete aparece quando a insulina produzida pelo organismo não é suficiente. É uma doença cada vez mais frequente nas rotinas clínicas.

Logo, quando o cão tem diabetes começa a apresentar uma aparência desnutrida ao mesmo tempo em que parece ter sempre fome. Esta doença pode levar o cão a ter vômitos, fraqueza, pode tornar-se obeso e formar cataratas. É possível observar no cachorro que a sua pelagem tende a ficar seca e sem brilho, com aspecto feio e quebradiço.

A diabetes não tem cura, mas a administração de insulina irá fazer parte do dia a dia. Sem tratamento, a diabetes é potencialmente fatal. Diferentes tipos de insulina estão disponíveis no mercado, e cada tipo de insulina será mais bem aplicado de acordo com variações individuais de cada paciente.Para além disso, é também aconselhável exercício físico e uma alimentação adequada.

2.Otite: essa doença é fácil de identificar, porém muitas vezes o tutor acha normal o hábito de coçar a orelha tanto de cachorro, quanto do gato, e acaba ignorando. Mas quando demorada para ser diagnosticada, o seu tratamento pode demorar mais do que gostaríamos.

O desconforto que a doença provoca é visível: o cão começa a coçar muito as orelhas e a abanar a cabeça. Também é muito importante que o médico veterinário descubra quais as bactérias ou fungos podem estar associados, além do motivo que originou essa otite.

Com as dores, o animal pode começar a perder o apetite e a andar com a cabeça inclinada para um dos lados. Tudo isso, pois, se não tratada adequadamente, a otite pode evoluir para surdez e até complicações neurológicas. A limpeza do ouvido é essencial para prevenir as otites, assim como proteger as orelhas durante e depois do banho com a utilização de tampões e ao enxugá-las bem.

3.Obesidade: cada vez é mais comum encontrar cães e gatos obesos. As principais causas da obesidade em cães e gatos são o sedentarismo e a má alimentação, entre outros fatores importantes. Pesquisas afirmam que afeta 25% dos cães e 40% dos gatos, principalmente em meia-idade. Um em cada dez gatos são obesos, e para que isso deixe de acontecer há que não deixar a comida sempre à disposição do animal e incentivá-los a brincar.

A obesidade pode trazer complicações mais sérias como a diabetes, problemas cardíacos e pulmonares e também locomotores.  E mais, o sobrepeso e a obesidade causam outros problemas de saúde, reduzindo a longevidade do pet.

4.Insuficiência renal: quando o gato ou cachorro tem doença renal, eles tem uma alteração na capacidade de filtragem dos rins, o que acarreta a retenção de ureia e creatinina. Infelizmente a doença renal é comum em cães e gatos, especialmente aqueles que estão alcançando uma idade mais avançada.

Apesar de incurável, o manejo e nutrição adequados podem prolongar e melhorar a qualidade de vida do paciente. Por isso, incentive o pet e felino a consumir muita água. Deixe potes de água a vontade. E uma boa ideia são os bebedouros de água, indicados para eles.

Claro que há outras doenças que afetam os nossos animais de estimação, mas essas 4 são bem comuns de aparecer no pet e felino. Mesmo com todos os cuidados eles não estão livres de ficar doentes.

O mais importante é diagnosticar e em caso de dúvida levar para o médico veterinário para que ele possa examinar e indicar tratamento ou remédio de acordo!

 

 

Sobre Angelica Weise

Jornalista freelancer. Mestranda na UFSM. Escreve sobre os mais diversos assuntos e ama seus pets.

Veja também

Adoro Patas Gatos

Como alimentar seu gato

Os gatos são animais carnívoros. Isso significa que eles precisam de uma fonte de proteína …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *