Notícias quentes
Página Principal / Cuidados e Saúde / Câncer em cachorro: como identificar?

Câncer em cachorro: como identificar?

Muitos donos de pet tem se preocupado com o câncer. Assim como nos humanos que está se tornando muito comum a presença do câncer, abala todos. Mas como conseguir identificar se meu cachorro está com câncer? Existem alguns sinais ou evidências que mostram que ele pode estar com a doença? Leia com atenção o texto e veja como descobrir o câncer nos cachorros!

Câncer nos cachorros

Alguns fatores podem contribuir para o desenvolvimento de tumores nos cachorros e que em consequência se transformam em câncer. O seu desenvolvimento pode ocorrer em diversas raças e idades do cães. Alguns dos cânceres mais comuns em cães são os seguintes:  câncer de pele, mama e osso.

Sintomas do câncer

Vai depender muito do tipo de câncer. Mas a principal dica é ficar atento a sinais e comportamento do cachorro. Conheça alguns:

  • Caroços na superfície da pele;
  • Aumento dos testículos pode significar um provável câncer testicular;
  • Aumento das mamas pode ser que seja um câncer de mama;
  • Vermelhidão em algumas regiões do corpo;

Outros sinais que é preciso atentar são estes:

  • Mudança de apetite;
  • Perda de peso
  • Evidência de dor;
  • Caroços e inchaços;
  • Tosse ou dificuldade para respirar;
  • Feridas que não saram;
  • Desânimo ou depressão;
  • Odores fortes;

pet-423398_960_720

Estes sinais não são afirmação de que seu cão esteja com câncer, mas necessitam de sua atenção. Pode ser passageiro como não, então o aconselhável é procurar ajuda de um médico veterinário. Qualquer cachorro pode desenvolver um câncer, independente de sua raça ou idade, todos estão propensos a desenvolver o tumor.

O mais preocupante é que muitos dos sintomas acabam aparecendo na fase avançada o que acaba comprometendo o tratamento e prejudicando ainda mais a saúde do pet.

Já para a realização do diagnóstico, o médico veterinário irá realizar uma biopsia do tumor e irá analisar por meio de um microscópio. Dependendo do diagnóstico ele poderá solicitar a realização de exames. Já o tratamento pode variar de acordo com o caso. Primeiro se realiza a intervenção cirúrgica e depois é realizada a quimioterapia.

Causas

Não existem fatores concretos determinantes para o câncer nos cachorros. Mas alguns deles podem ser os seguintes:

  • Alimentação gordurosa e desbalanceada;
  • Idade avançada;
  • Obesidade;
  • Uso de vacinas para evitar a gravidez;

Algumas dicas para evitar o câncer em cachorros podem ser:

  • Castrar antes do primeiro cio;
  • Dar ração de qualidade;
  • Controlar o peso da fêmea para não ficar obesa;

Alguns alimentos também podem ajudar na prevenção e entre eles estão: maça, banana, brócolis e cereja. A grande maioria por conter antioxidantes. Isso também não quer dizer que seu cão deve comer estes alimentos.

A dica é dar ao seu cachorro uma ração de qualidade e balanceada isso pode ajudar na sua saúde e bem estar. Para qualquer dúvida converse com seu médico veterinário e ele pode esclarecer as suas perguntas.

Em relação ao câncer nos cachorros não fique sofrendo por antecedência. Cuide dele, e dê a ele muito amor e carinho, além das brincadeiras. Isso é fundamental para o seu desenvolvimento saudável!

Sobre Angelica Weise

Jornalista freelancer. Mestranda na UFSM. Escreve sobre os mais diversos assuntos e ama seus pets.

Veja também

Limpeza Bucal Do Seu Gato: Saiba Como Fazer

Embora os felinos sejam muito higiênicos e passem o dia todo lambendo, há uma parte …

2 Comentários

  1. Há três anos perdi meu cachorro (labrador com akita), devido à metástase originária de câncer nos testículos. Um ano antes, notamos um inchaço nos testículos dele quando davamos banho, como era final de semana, resolvemos levá-lo na segunda-feira para consultar. No dia da consulta o inchaço havia dobrado de tamanho e o veterinário já o internou para realizar a cirurgia. Feita a cirurgia, o veterinário deu alta e recomendou anti-inflamatórios e antibióticos e pediu que retornassemos para retirar os pontos. Segundo ele, havia retirado todo o tumor e estava tudo bem. Nós, leigos no assunto, fomos para casa felizes.
    Uma ano depois, notamos que o pelo dele começou a cair e um inchaço abdominal, levamos ao veterinário de sempre e após a consulta o diagnóstico foi doença do carrapato que estava causando disfunção hepática e receitou alguns remédios para ele tomar durante 1 mês e retornar para consulta. Passado o tal mês, assim que suspendemos o remédio, o inchaço voltou e duplicou de tamanho em poucos dias, eu não quis esperar a data da consulta e o levei em outro profissional, pois já desconfiava que era algo bem grave. E não estava errada, após o exame clínico, ela nos ligou e disse que era certa a existência de um tumor no abdomen e solicitou nossa autorização para fazer um ultrassom e a cirurgia no dia seguinte. Ela não o deixou internado, o levamos para casa com o sentimento de poderia ser uma despedida. No dia seguinte o levamos para fazer a cirurgia. Infelizmente, o quadro era muito mais grave do que o ultrassom pode mostrar. O tumor maior estava no fígado (cerca de 6 quilos de massa), e já havia comprometido os outros órgãos. A veterinária precisou eutanasiá-lo, pois infelizmente, o câncer já havia se espalhado. Como os exames de sangue foram refeitos, não havia sinal de doença do carrapato e sim de neoplasia, mas como nós não sabíamos interpretar as informações, acreditamos no primeiro profissional. A veterinária que atendeu por último ficou assustada com a rápida evolução do tumor, pois de uma semana para outra ele quase triplicou de tamanho (levamos fotos do Scott de uma semana antes). Até hoje não me conformo de o primeiro veterinário ter sido tão negligente, pois não foi feito exame de imagem, pois ele disse ser desnecessário. E me sinto culpada por não ter percebido a gravidade antes, achei que ele estava engordando por causa da castração, mas na verdade estava inchado…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *