Notícias quentes
Página Principal / Dicas de Produtos / Qual é melhor tipo de coleira para cachorro?

Qual é melhor tipo de coleira para cachorro?

Você já deve ter visto tudo o que é tipo de coleira por aí, seja em cães desfilando pela rua com seus donos, seja em pet shops, na televisão ou em lojas on-line. Embora inúmeros tipos de coleira para cachorro sejam comercializados no mercado, algumas são mais seguras ou mais confortáveis do que as outras. Vamos conhecê-las?

Cachorro com coleira

Coleira de pescoço plana

A coleira mais tradicional de todas é esta: uma fita ou espécie de cinta presa no pescoço do cão com um clipe plástico ou uma fivela. São bastante úteis, porque podem carregar as plaquinhas de identificação ou licença de seu cachorro.

No entanto, esse tipo de coleira é potencialmente perigoso, porque pode “sufocar” o seu cão, em alguma brincadeira mais grosseira ou caso ele puxe demais durante um passeio, por exemplo.

Outra desvantagem é que, segundo um estudo publicado no Diário da Associação Americana de Hospitais para Animais, em 2006, quando os cachorros puxam enquanto estão vestindo essa coleira em um passeio, a pressão nos olhos é aumentada, pelo aperto da coleira.

Se o cão tiver disfunções cuja pressão intraocular seja capaz de agravar, como glaucoma e córneas finas, a doença e os sinais clínicos podem piorar. Portanto, os cachorros suscetíveis a tais problemas devem utilizar outro tipo de coleira ou serem treinados para não fazerem força enquanto passeiam.

Coleira de deslizamento de corrente (“enforcador”)

Coleira Enforcador

Há 20 anos, praticamente todo cão que passasse por processo de adestramento usava algum tipo de corrente de estrangulamento. O motivo por que essas correntes são usadas por treinadores é dar um “puxão” forte o suficiente para impedir que o cão faça o que quer que esteja fazendo, seja cheirando algo que não deva ou latindo para outro animal, para citar alguns.

A ideia é que, uma vez que o cão saiba que será punido dessa forma por mal comportamento, ele não volte a repeti-lo e você poderá, assim, diminuir a frequência e a intensidade do “enforcamento”.

O problema é que muita gente aplica o enforcador de maneira ineficaz, porque, na realidade, ele tem um jeito correto de ser utilizado, com o puxão em uma direção, força e altura corretas as quais, hoje em dia, a maioria das pessoas desconhece. Algumas pessoas não sabem sequer como posicionar a corrente de modo correto no pescoço do cachorro.

Cachorro comendo ração

Imagino que não seja surpresa para você perceber que, se a coleira de pescoço normal pode ser agressiva ao animal, o mesmo acontece com as correntes de estrangulamento. Um puxão mais forte pode causar problemas na saúde do cão.

O estrangulador é ainda mais perigoso no que se refere à pressão nos olhos e, além disso, pode comprometer a respiração do cachorro, machucando a sua traqueia. O cão ainda pode desenvolver danos neurológicos se a punição for excessivamente forte, inclusive a síndrome de Horner, quando acontecem alterações na pupila e claudicação induzida pelo nervo na pata dianteira.

Se não bastasse, caso a ponta da corrente fique presa em algum objeto, o cachorro pode acabar sufocando.

Martingale

Também conhecidas como colares de deslizamento limitado ou coleiras de galgos, as martingale são um modelo utilizado especialmente pelos cães galgos, cuja cabeça é mais estreita que seu pescoço. Ela é composta de duas partes, uma fixa com dois anéis e uma móvel. Se o cão puxar, a parte móvel pressiona seu pescoço.

A maioria dos cães tem a cabeça maior do que o pescoço, então, se estiverem usando uma coleira normal, mesmo que se assustem e puxem, a coleira não escapa pela cabeça.

Mas os galgos têm o pescoço mais largo do que a cabeça, logo, vestindo uma coleira normal, eles podem escapar. Em vez disso, as coleiras martingale ajustadas impedem a fuga.

No entanto, essas coleiras precisam ser ajustadas de modo seguro, isto é, que mesmo apertadas não corram o risco de estrangular acidentalmente o cachorro.

Coleira de pinos

Tão antiga quanto a corrente de estrangulamento, a coleira de pinos é usada como ferramenta de correção em treinamentos para cães. Porém, com esta, você não precisa usar tanta força física quanto na anterior.

Visualmente, ela é mais “assustadora”, porque apresenta pontas voltadas para o pescoço do animal. Mas, em geral, ela produz menor pressão que o enforcador. De qualquer forma, ela pode levar aos mesmos problemas que uma coleira de pescoço plana ou uma corrente de estrangulamento.

Peitoral

Cachorro de peitoral

É uma das melhores alternativas para as coleiras de pescoço e bastante recomendados pelos veterinários, especialmente para raças como pugs, que são sensíveis a problemas respiratórios.

São projetados para serem posicionados em volta do peito e do abdômen de um cachorro, cruzando as costas. Boa parte dos donos de cachorros preferem peitorais sobre coleiras, especialmente para cães com tendência a puxar, porque não exercem pressão sobre o pescoço.

Algumas opções engancham a guia nas costas do cachorro. Elas não servem muito para treinamento ou adestramento, porque, mesmo que você puxe o seu cão, a atenção dele não estará voltada para você, já que a guia está em suas costas.

Para treinamento, o ideal são os peitorais com fixação frontal. Nesse caso, se o cão avançar e puxar, a guia redirecionará a atenção do cachorro para você. Se você decidir virar para o outro lado, por exemplo, a guia ajudará a virar o cão para a direção onde você quer seguir. Trata-se de um ótimo equipamento para cães que precisem de mais controle.

No entanto, em raros casos, esse tipo de peitoral pode dificultar o movimento dos ombros do cão, alterando sua marcha. Por isso, não é indicado para cães de competição esportiva, por exemplo.

Para cães competidores, há uma outra opção, cuja guia está ligada entre as patas dianteiras e as costas, liberando os ombros. É melhor que uma coleira de pescoço, mas oferece menos controle que um peitoral de gancho frontal.

Cachorro de peitoral

Coleira Cabresto

A coleira cabresto ou coleira de focinho lembra ligeiramente uma focinheira, mas seu propósito é muito diferente: ela é indicada para quem quer acelerar o treinamento e precisa de ajuda para manter a atenção de seu cachorro.

Quando o cachorro puxa a trela, o cabresto fará com que a cabeça gire. Isso não é natural e irá impedir o comportamento errado. Além disso, ao puxá-la, ela guia a atenção do cão para você, já que o corpo vai para onde a cabeça está apontando.

O lado ruim desse tipo de coleira é que, muitas vezes, você precisa treinar o cachorro para aceitá-la. Enquanto alguns cães andam naturalmente bem com o cabresto, outros precisam se adaptar ao uso.

Por fim, os cabrestos não devem ser deixados em cães sozinhos ou em uma guia de longa distância, pois os cachorros podem ser capazes de se livrar de alguns tipos de coleiras de focinho.

Uma vez que o cão está treinado o suficiente, você pode mudar para outra coleira ou peitoral.

Coleiras Inteligentes

São coleiras tecnológicas, que incluem desde GPS para rastreamento e localização de seu cão até sistemas de monitoramento de mudanças de comportamento ou assistência no treinamento. Geralmente são compatíveis com aplicativos de smartphones, algumas têm até cobertura Wi-Fi e são à prova d’água.

Coleiras de exposição de cães

 São modelos deslizantes feitos tipicamente de um material trançado, como couro, nylon ou metal (mas não devem ser confundidos com coleiras de deslizamento de corrente).

Em resumo, nenhum tipo de coleira para cachorro é perfeito. Todos os modelos são apenas ferramentas. Entretanto, alguns são mais propensos a causar problemas em seu bichinho de estimação ou podem apenas não corresponder a sua necessidade.

Você precisará verificar qual é a melhor opção para seu cachorro e seu nível de treinamento. Uma vez que o cão se adapte bem a um tipo de coleira, é fácil mantê-la para o resto de vida, sem comprometer a saúde ou integridade física de seu amigo.

E não esqueça: certifique-se de que a coleira de seu cão tenha uma plaquinha com suas informações de contato atualizadas, caso ele se perca.

Sobre Lucas Araujo

Advogado, empresário, adora aprender mais sobre animais e seus comportamentos. Vamos aprender juntos?

Veja também

Suplemento aos cachorros

Suplementos para cachorros: 3 dicas de produtos

Muitas pessoas tomam suplementos alimentares ou vitaminas. E cada vez mais, é provável que também …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *